sexta-feira, 14 de maio de 2010

morre lentamente

(auto-ajuda pra que?)

morre lentamente quem nunca foi um bem feitor anônimo. Ajude uma pessoa, bicho ou planta. Não comente com ninguém e você terá um dia feliz consigo mesmo, o que é muito importante. “O amor que você recebe é igual ao amor que você distribui”, canta uma música dos Beatles. Experimente fazer o bem e mais dia, menos dia, você receberá uma notícia boa. É verdade.

Deborah O'Lins de Barros
14/05/2010

6 comentários:

Hélio Jorge Cordeiro disse...

Mas pensando bem, minha querida, Deby que gostaria de morrer apressadamente? Hein? Capaz, nêga!

PS: enviei um email se condolencias pro email "rino" de Lourival. Será que ele vai receber?

Deborah O'Lins de Barros disse...

Oi Helinho... "Morre lentamente" é um texto muito bonito do Neruda, que ele diz que pessoas que não vivem o novo, que não arriscam, que têm medo etc. acabam... morrendo lentamente. eu quero é viver bem devagarzinho :-)
sobre o Lourival, eu nem tenho o email dele, mas sei que ele tem msn. posso conseguir para você, ajuda?

abração :-)

Hélio Jorge Cordeiro disse...

Vou ver se Mirian Arins tem o email dele, eu prefiro, pois msn é mesmo morrer lentamente. rsss

Mesmo assim, obrigadão!

Sweet Sirius disse...

morremos lentamente todos, independente do que façamos ou deixemos de fazer. mas concordo contigo quando dizes que ter um dia feliz consigo mesmo é importante.

Deborah O'Lins de Barros disse...

cabe a nós optarmos como morreremos lentamente.
abraço.

Ricardo Steil disse...

Esta é uma das músicas dos Beatles que mais adoro (The End) - o Harrison matou a pau com a Fender Telecaster nela. Concordo Debbie, eu também quero viver lentamente - no mais concordo, auto-ajuda pra quê? Saudações literárias.