segunda-feira, 3 de agosto de 2009

um conto curto para uma tarde ensolarada

.
o pedido
Avisou para a família que quando morresse, gostaria de duas coisas: doar os órgãos e quem ninguém usasse preto no velório. Pouco tempo depois, morreu. O acidente de carro foi tão horrível que nenhum órgão pôde ser aproveitado. Amigos e familiares resolveram homenageá-lo indo ao enterro usando, cada um, uma cor diferente. A viúva, não sabendo qual escolher, resolveu ir de branco. E nem lembrou que sua camisa carregava todas as cores do arco-íris.
.

4 comentários:

Ricardo Steil disse...

Deborah, existem inúmeros escritores minimalistas no mundo. Mas, sinceramente, desconheço algum que bata aos teus pés. Parabéns, pelo belíssimo conto.

Deborah O'Lins de Barros disse...

Obrigada, Ricardo!
mas ainda tenho muuuito chão pela frente :-)

Mat disse...

Ricardo.. não é porque achou a moça bonita que precisa paquerá-la dessa forma.. rs

O texto ficou muito bom Deborah.
Estava procurando textos minimalistas no google e achei o seu.

inté.

Deborah O'Lins de Barros disse...

O Ricardo não me paquerou, Mat... somos amigos de caneta.
Legal que você curte contos curtos, já escreveu algum?
abraço e volte sempre ao meu blog
:-)